Black Vul Destruktor "oV Temple oV Vul"

Publicado em: 09/03/2014 - 14:28

Finalmente parece que a Argentina vai superar sua história relativamente secundária no metal mundial. Ao menos no que tange ao metal extremo. Depois do fudido Infernal Curse, agora surge o não menos mortífero Black Vul Destruktor.
Assim como seu conterrâneo antes referido, o Black Vul Destruktor trilha os caminhos miasmáticos do black/death metal satânico. Mais especificamente, do war black metal. Diferentemente da maioria das bandas de war black, contudo, esses argentinos priorizam não a velocidade desenfreada, mas o peso. De fato, o som dos caras é absolutamente mamutesco, pesado ao ponto da indecência. Aliás, o compromisso primordial da banda com o peso percebe-se facilmente até na velocidade reduzida de algumas faixas, como em Void of Darkness – dotada de um riff a la Bathory das antigas (inegavelmente, grande influência para a banda) simplesmente matador. Em geral, o andamento das músicas é rápido, mas não descamba para os blast beats mais alucinados, mantendo uma cadência próxima do Bathory no The Return. A esse propósito, ouça-se, por exemplo, Torment of the Illumination, paulada movida a riffs soberbos, negros e sombrios, mas que não abrem mão de certa melodia.
Além de Bathory e do onipresente Blasphemy, este último influência obrigatória em bandas de war black, doses generosas de death metal americano da velha escola, na linha Immolation e Deicide, bem como de formações mais obscuras, bordejantes ao black, tipo Imprecation e Irreverent, também contribuem para o som dos argentinos.
Lançado neste ano de 2014 por uma gravadora da qual nunca antes havia ouvido falar, a também argentina MSR Productions, oV Temple oV Vul é um cd coletânea. Aqui temos faixas retiradas de todos os trabalhos da banda: do seu mais novo ep, de 2014, o split com o chileno Et Verbi Sathanus (outra grande revelação da nova safra black/death sulamericana), passando pelo seu ep Bestial Obscure Metal Kaos, gravado em 2012, e chegando à demo Volition+Invocation+Destruction, de 2008.
É perceptível a evolução do Black Vul Destruktor nesses registros. Na demo, cuja gravação está severamente prejudicada, o war black metal dos hermanos soa muito mais caótico e rápido, mas também menos pesado e contundente. Algo assim como uma versão mais tosca e pobre do Impiety, de Cingapura, com toques de Sepultura do Morbid Visions. Não é ruim, mas não impressiona. A música realmente cresce é nos eps. Ambos são ótimos, dotados de uma produção abafada e pesada que ressalta adequadamente o som. Quanto à composição, as músicas também estão muito melhores, com riffs bem mais inspirados e dramáticos – alguns são realmente excelentes, revelando musicalidade notável para um banda que abraça o crudelíssimo war black metal - e andamentos mais certeiros. Os vocais, surpreendentemente inteligíveis, soam perturbadores, sufocantes e obscuros, numa vibe black oitentista que me fez lembrar até de Sodom do primeiro ep. Vale destacar, ainda, os solos sujos e atormentados. Embora evidentemente haja espaço para crescimento, diria que os caras já atingiram um nível realmente profissional nesses eps, que deixam o ouvinte com vontade de ouvir coisas novas da banda.
O Back Vul Destruktor, pelo menos em sua fase mais atual, é banda especialmente indicada para quem quer ouvir um war black dramático, bem feito, com muita coisa de death metal e construído sobre riffs dotados de ótimas e macabras melodias.


Black Vul Destruktor - vomitado do mais negro abismo austral

Bestial Obscure Metal Kaos
cult ep incluído na coletânea

18/03/2014 - 10:03
Caverna

Ouvi a faixa The torment Of The Illumination: excelente! Black/death da mais alta qualidade! Muito foda!

Deixe seu comentário