Demonomancy (ITA) "Rites of Barbaric Demons"

Publicado em: 10/11/2013 - 14:51

Publicado originalmente no blogue themetalnightstalker.blogspot.com.br em 28.07.2013.

Da Itália surge um brado furioso de ódio e vingança. Bem nas vetustas barbas do Vaticano acha-se uma das mais blasfemas e promissoras novas bandas do war black metal mundial.
Os romanos do Demonomancy, nada que ver com a banda homônima da Espanha (http://www.cacadordanoite.com.br/materia/demonomancy-esp-supremacy-through-intolerance-the-last-legacy-950), mostram nesse longo ep de vinte e dois minutos, lançado pela Nuclear War Now!, um death/black realmente empolgante, com muitas mudanças de andamento, incluindo a presença de longas partes lentas (não tão comuns no estilo), e uma grande variedade de riffs. Os vocais seguem a linha típica do gênero e cumprem a contento seu papel. A boa produção conferiu uma sonoridade mais "aberta" - e não muito densa - à gravação: uma timbragem legal que lembra a do excelente Archgoat, da Finlândia. E não é somente na timbragem que a banda finlandesa é lembrada aqui. Também abundam no som do Demonomancy aquelas hipnóticas cadências sinuosas que são uma das marcas da banda de Angelslayer e cia. Outra influência inegável é Sarcófago antigo. Em muito momentos, principalmente nas levadas mais marciais, dá pra jurar que o velho D.D. Crazy assumiu as baquetas. Toques de Blasphemy, principalmente nas viradas de bateria, Black Witchery, em algumas ótimas guitarras e nos vocais, e de Demoncy - ouçam-se os riffs das partes rápidas de Involution of Spirit into Mass (http://www.youtube.com/watch?v=feK8sjq69FA) -, também podem ser notados, assim como traços de death metal old school, na forma de cadências construídas por meio de pesadíssimos riffs de guitarras, na esteira do que faz o Incantation nos seus momentos mais doom - ou alguém é capaz de negar a filiação à escola John McEntee de composição naquele riff mórbido e arrastado que aparece da metade para o fim da faixa título do ep (http://www.youtube.com/watch?v=AnoVgRgP2B4)?
Sem embargo, isso não significa que o Demonomancy careça de personalidade. Mesmo uma abordagem original há de deitar raízes na tradição. É precisamente o que fazem os italianos, ao plasmar seu som a partir das referências clássicas do war black metal e do death/black em geral. Uma boa ilustração disso pode ser colhida na fulminante Bearers of Black Arts (http://www.youtube.com/watch?v=jTduIqd91Z8), faixa originalmente registrada (em outra sessão) na demo de mesmo nome lançada em 2010.
Para o júbilo dos adoradores das artes negras, o full lenght de estreia do Demonomancy - Throne of Demonic Proselytism - acaba de ser lançado, por enquanto apenas no formato em vinil, pelo selo californiano Nuclear War Now!. Obviamente, já tratei de encomendar o meu, na caprichada versão die hard.
De todas as novas bandas de war black metal, e muitas têm surgido nos últimos tempos, o romano Demonomancy é um dos mais sérios candidatos ao posto de principal revelação. A habilidade ímpar com que a banda faz uma releitura da tradição é justamente seu diferencial e garante que não seja tomada apenas como outra cópia dos clássicos do estilo. Embora eu, pessoalmente, seja até tolerante com bandas que emulam outras (desde que a emulação seja competente), reconheço que originalidade agrega muito ao som. Ainda que não reinvente o gênero, o Demonomancy mostra que tem, sim, identidade. Esse excelente ep é a prova definitiva. Que venha, agora, o full lenght!


O maléfico trio do Demonomancy

A versão die hard do lp de estreia - Throne of Demonic Proselytism

Deixe seu comentário