Loudness "The Birthday Eve"

Publicado em: 08/12/2013 - 01:25

Publicado originalmente no blogue themetalnightstalker.blogspot.com.br em 12.08.2013.

O Loudness é considerado a primeira banda de heavy metal do Japão. Por décadas os discos do início de sua carreira foram de difícil aquisição, visto que inicialmente lançados, em lp, apenas em terras japonesas. Felizmente isso agora mudou. O selo inglês Krescendo Records finalmente disponibiliza no mercado internacional os três primeiros álbuns da banda, em formato cd. Trata-se, provavelmente, da melhor fase dos japoneses.
A música do Loudness – extremamente bem composta, caracterizada por guitarras espertas e transições de grande fluidez e qualidade – situa-se naquela linha tênue que separa o hard rock do heavy metal. Abundam no som da banda influências tomadas tanto de colossos setentistas do rock pesado, como Deep Purple e Whitesnake, como de conjuntos mais rápidos pertencentes à então fervilhante cena oitentista da New Wave of British Heavy Metal, como Iron Maiden e Def Leppard. Até um pouco de Van Halen e mesmo de pop (?!), há de se reconhecer, com inegável constrangimento, têm seu lugar na música do conjunto.
Embora inicialmente lançado, repita-se, apenas no mercado japonês, no longínquo ano de 1981, o disco de estreia do Loudness, The Birthday Eve, mesmo constituindo um caro item importado, rapidamente ganhou a atenção de fãs de todos os cantos do mundo. Fãs que, embora sequiosos pela velocidade crescente das novas bandas de heavy metal do início da década de oitenta, não dispensavam a inclusão de grandes doses de melodia na música. Ora, melodia e velocidade era precisamente o que o Loudness entregrava a seus ouvintes. Ouça-se, por exemplo, a faixa Sexy Woman (http://www.youtube.com/watch?v=nbJqzsWxAFU&hd=1), movida a elaboradas melodias vocais, riffs quase sempre rápidos e sólidas partes de bateria e baixo, com óbvias referências a Iron Maiden (nas partes aceleradas). Não seria exagero dizer que já se prenunciava aí o power metal melódico que seria deflagrado anos depois, em meados da década de oitenta, por bandas festejadas como o alemão Helloween e o brasileiro Viper. Outro destaque do disco é a intrincada faixa Street Woman (http://www.youtube.com/watch?v=H6KbVCJDd_M&hd=1), em que a técnica apuradíssima dos músicos se sobressai na forma de riffs angulosos e seguidas mudanças inusitadas de andamento. Até mesmo uma pitada de rock progressivo, na linha do canadense Rush, pode ser percebida na brilhante transição efetuada no meio dessa música. Felizmente para nós, amantes do bom e clássico heavy metal, as influências progressivas mantêm-se sempre discretas, nunca descambando para a aporrinhação tecnicista. Já a face puramente metal da banda aparece clara em faixas como High Try (http://www.youtube.com/watch?v=NHZ_0eOYO-M&hd=1) - um petardo N.W.O.B.H.M. na linha Diamond Head/Blitzkrieg em que é impossível não se engajar no headbanging.
A produção do disco é muito boa e deixou todos os instrumentos pesados e cristalinos, sem, contudo, pasteurizá-los. Ainda que o trabalho da cozinha seja memorável, cabe exaltar, em especial, a excelência das guitarras (tanto nos solos debulhados quantos nos riffs faiscantes), a cargo do virtuose Akira Takasaki, e o grande desempenho do vocalista Minoru Niihara. Aqui, entretanto, cabe um alerta. Muito embora a imposição vocal de Niihara possa parecer, a alguns ouvidos ocidentais, exagerada, mesmo dentro dos limites generosos do hard rock e do heavy metal, há de se ter em conta que não se trata de característica exclusivamente sua, mas da cultura musical do Japão. De fato, a música típica da Terra do Sol Nascente, seja rock, metal ou mesmo popular, é marcada por vocalizações calcadas em agudos “trincantes”. Dentro desse contexto, portanto, não chega a espantar o registro adotado por Niihara, ainda mais quando ele opta por cantar em japonês (durante quase todo o disco) e não no óbvio inglês.
O Loudness apenas iniciava, com The Birthday Eve, uma longa carreira, de moderado sucesso internacional, que se estende até os dias atuais. Outros bons discos se seguiram ao debut, como Devil Soldier (1982) e, num patamar inferior, The Law of Devil's Land (1983), encerrando a fase de lançamentos exclusivamente japoneses da banda. Mas nem tudo são flores. Ao entrar, posteriormente, no mercado dos EUA e europeu, a banda optou por seguir uma trilha mais próxima do metal comercial americano, adicionando doses substanciais de melodias fáceis à sua música. O resultado dessa mudança, a partir da segunda metade dos anos oitenta, foi uma visível queda de qualidade musical, ao menos do ponto de vista do metal mais puro.
Sem embargo, seus primeiros discos, em especial o debut, são ótimos exemplos de metal melódico da mais alta qualidade. Para quem não conhecia a banda (e mesmo para os que a conheciam, mas ainda não tinham seus primeiros discos), os relançamentos da Krescendo Records são a oportunidade perfeita para resgatar um pedaço importante da história do heavy metal clássico japonês – e, por que não dizer, mundial – dos anos oitenta.


O visual assustador do pessoal do Loudness na época do debut
(se alguém disser que é incapaz de curtir a música por conta disso, entenderei perfeitamente)

Deixe seu comentário